Da Escravidão Ao Salário Mínimo

by Pastel De Miolos

/
  • Streaming + Download

    Includes unlimited streaming via the free Bandcamp app, plus high-quality download in MP3, FLAC and more.

      $10 USD  or more

     

  • Compact Disc (CD) + Digital Album

    Includes unlimited streaming of Da Escravidão Ao Salário Mínimo via the free Bandcamp app, plus high-quality download in MP3, FLAC and more.
    ships out within 10 days

      $10 USD or more 

     

1.
01:27
2.
01:26
3.
4.
01:50
5.
01:43
6.
01:32
7.
8.
01:26
9.
10.
03:33
11.
00:09
12.
00:41
13.
14.
15.
16.
17.
02:43
18.
01:42
19.
02:24
20.
21.
01:37
22.
01:25
23.
02:50
24.

about

Pra que serve uma banda Punk? Se você acredita em hypes e em músicas feitas pras prateleiras de um supermercado, a resposta é simples: não serve pra nada!

Mas se você continua lendo essas mal traçadas linhas, é porque você faz parte de uma seleta parcela que acredita no poder que a música pode exercer nas vidas das pessoas.

Tudo isso pra dizer que se uma banda com 15 anos de existência continua a produzir é porque ela tem o que dizer. E isso é ser Punk. É ter atitude.

Poderíamos chamar essa música de qualquer coisa. Mas ela é essencialmente PUNK ROCK. Porque ela quer algo. Porque ela tem algo a dizer e a questionar.

A banda PASTEL DE MIOLOS é uma dessas bandas que adota a simplicidade para acertar suas pedradas nas vidraças imundas de uma sociedade que se esconde em modismos. E se em 2010 nós ainda falamos em Punks é porque pouca coisa mudou.

Músicas rápidas, cadenciadas, que navegam com fluidez por várias facetas e sem em nenhum momento perder o foco ou o fôlego.

DA ESCRAVIDÃO AO SALÁRIO MÍNIMO é um disco conceitual, que fecha um ciclo – RUAS (EP2007), CIRANDA (CD2009) e DA ESCRAVIDÃO… (CD2010) – Produzido pela banda e por JERA CRAVOcom músicas inéditas e algumas que já estão em outros EP’s da banda. Tudo feito com firmeza e simplicidade, mas com o som no talo, gritado, berrado como deve ser. Power Trio: Guitarra, Baixo e Bateria e um exército está formado. Influenciada por bandas clássicas do Punk Rock nacional e internacional, a PDM hoje não deve nada a ninguém. Já conseguiu criar a sua própria música.

O “Desespero de viver sob o jugo de um imbecil”, berram na primeira música que chega forte, quase rompendo tímpanos e caixas de som. As pancadas vão se sucedendo uma atrás da outra, às vezes mais tranqüilas, às vezes ainda mais agressivas. E tome “tapa na cara, coronhada e porrada” nos que passam os dias construindo “castelos de areia”. Onde está escrito que tem de ser tudo gritado? “Corpos” tem um acento pop, mas sem perder a acidez. Depois a coisa acelera mais, dá pra ver as rodas se formarem na platéia. “Vai”, “PDM”, “Não se engane” e “Ted…” não deixam pedra sobre pedra. “Janela do caos” é direta: “Caráter duvidoso/rabo preso/comprado pelo sistema…” “Nova utopia” vem suave, desiludida e logo em seguida o pau come de novo com “Olho torto”, “Moicano” e “Terra em transe”. “Da escravidão ao salário mínimo” mostra a versatilidade da banda, indo do Ska ao Punk. E as pedradas vão se sucedendo, cada uma com sua “Mensagem subliminar”. “Ruas” é melódica e agressiva na medida certa, “Breado” sintetiza em duas frases sua observação crua da humanidade sem glória, enquanto “Eles” aponta a luta de poucos corajosos. Pra quem tem medo de se arriscar, com certeza não são esses caras da PDM, bem, poderiam se acomodar em fórmulas prontas, mas ousam nos delays de “Esperar sentado” e na quebra do ritmo em “Sete sete”. Quem questiona quer sempre descobrir mais do mundo, está claro essa verdade nas reflexões de “Ser humano” e afirmações de “Opressão…”. No final, arriscam ainda um metal apocalíptico na poesia desolada de “Depois do silêncio”. São 24 músicas, representando as 24 horas do dia, e “Ilusões”, não creditada no encarte, é a 25ª hora, um simbolismo à hora-extra que nunca é paga pelo patrão. Pós-punk? Gótica? Doom? O que esses punkrockers andam escutando, hein!?! Tudo dito com poucas palavras, poucos acordes e muitas certezas. Missão cumprida.

O novo disco está sendo lançado em parceria com os selos: Brechó Discos, BigBross Records, Quina Cultural, Pisces Records, Tamborete Entertainment.

Então fique atento: se no CD a banda consegue ser visceral e direta, imagine só o que esses três caras conseguem fazer ao vivo. É uma porrada na cara. Um soco no estômago. Com a potência suficiente pra tirar qualquer um da letargia.

O rock baiano já tem mais um grande nome: PASTEL DE MIOLOS.

ACHA INDIGESTO? PREFERE UM ACARAJÉ?

Pra mim está muito bom.

Tony Lopes Aka Reverendo T.

credits

released October 1, 2010

Produzido por: Jera Cravo & PDM

tags

license

all rights reserved

about

pasteldemiolos Lauro De Freitas, Brazil

Banda veterana da cena Punk Hardcore baiana, formada em 1995, possui 3 Demo Tapes, 4 CD's, 1 DVDBootleg, 1 CD Bootleg e participação e várias coletâneas. Já se apresentou nos principais Festivais Independentes do Brasil e convite para Warped Tour na california, turnê Europeia... ... more

contact / help

Contact pasteldemiolos

Streaming and
Download help

Track Name: Desespero
FINAL DE MÊS SEM DINHEIRO PRA CONTA
O FEITOR DE GRITA E A LOMBRIGA QUE RONCA
TODOS OS DIAS LÁGRIMAS DE CRIANÇAS
E A CERTEZA QUE TEM
É UM BURACO NA PANÇA
O DESESPERO DE VIVER SOB O JUGO DE UM IMBECIL
DARIA TUDO PARA PODER VER...
EU QUERO VER A MESA VIRAR!!
VOCÊ TOMAR A TUA VIDA NAS MÃOS!!!
SER DONO DO PRÓPRIO DESTINO!!!!
E TER SUA CONSCIÊNCIA EM PAZ!!!!!
Track Name: Castelos de Areia
OS DIAS PASSAM
E NADA PRA FAZER
OLHANDO PRO TEMPO
ESPERANDO ALGO ACONTECER
SENTADO EM FRENTE À TELEVISÃO
ESPERANDO O PRÓXIMO DIA
PRA TUDO SE REPETIR.

EU NÃO ESTOU MAIS A FIM
DE VIVER ASSIM
EU NÃO QUERO MAIS O FALSO PRAZER
DE ESTAR SEGURO SÓ POR ME ESCONDER

NÓS PASSAMOS OS DIAS
CONSUMINDO A VIDA ALHEIA
NÓS PASSAMOS OS DIAS
CONSTRUINDO CASTELOS DE AREIA
Track Name: Corpos
CORPOS QUE CAEM
SE ESTILHAÇÃO NO CHÃO
MENTES E IDEOLOGIAS
CORROÍDAS PELO ÁCIDO
E TUDO FOI EM VÃO
NUNCA MAIS SOFRER
NUNCA MAIS SE PERDER
OU NÃO!
BUSCANDO RESPOSTAS
QUE NÃO SE PODEM COMPREENDER
EXISTE ALGUMA VERDADE
SEU EU VOU VIVER, EU VOU MORRER!

ONDE ESTÁ ESCRITO
O QUE ESTÁ ESCRITO
E SE ESTÁ ESCRITO
PORQUE ESTÁ ESCRITO?
Track Name: Vai
VAI!
VAI!
VAI!
VAMOS LÁ!

CHEGA DE CORRER ATRÁS...
...PASSEMOS NA FRENTE!
CHEGA DE VIVER ALHEIO...
...COMECEMOS A SER DECISÃO!
CHEGA DE SER VIDRAÇA...
...SEREMOS PEDRA AGORA!
CHEGA DE SER POVO...
...SEREMOS POPULAÇÃO !
CHEGA DE GRITAREM POR NÓS!
EM GRITAR SOMOS BEM MELHORES!

VAI!
VAI!
VAI!
VAMOS LÁ!
Track Name: Não Se Engane
NÃO SE ENGANE
VOCÊ NÃO É LIVRE!

SUBJUGADO PELO PRÓPRIO INSTINTO
CONDICIONADO A FALTA DE OPINIÃO
OPERACIONALIZADO PELO SENSO COMUM
SUCETÍVEL A QUALQUER SUGESTÃO